sábado, 23 de novembro de 2013

TRÂNSITO VIOLENTO

Mortes no trânsito crescem 70,9% em dez anos na PB

Dado é do 'Mapa da Violência 2013: Acidentes de Trânsito e Motocicletas'. Em JP, número caiu 7,5%.


O número de mortes em acidentes de trânsito na Paraíba cresceu 70,9% entre 2001 e 2011. O dado faz parte do estudo nacional 'Mapa da Violência 2013: Acidentes de Trânsito e Motocicletas', divulgado nesta quinta-feira (21). O índice registrado no estado é superior ao crescimento nacional, que foi de 27%. De acordo com a pesquisa, em dez anos na Paraíba foi registrada uma taxa de 86,8 mortes por acidentes de trânsito levando em consideração a população total.

As mortes envolvendo motociclistas são as principais responsáveis pelo crescimento da mortalidade em acidentes no estado. Conforme a pesquisa, de todas as mortes registradas em acidentes de trânsito na Paraíba entre 2001 e 2011, cerca de 65% delas foram de motociclistas, enquanto essa equivalência no Brasil foi de 35%. Em números, a pesquisa flagrou um índice de 396 mortes de motociclistas por grupo de 100 mil habitantes.

A tendência de crescimento no número de mortes no trânsito na Paraíba não foi registrada nas duas principais cidades. O estudo indicou uma redução nas mortes no trânsito em João Pessoa, e Campina Grande foi a única cidade da Paraíba citada na lista dos 200 municípios com mais de 20 mil habitantes que obtiveram as maiores taxas de morte no trânsito por grupo de 100 mil habitantes.

 Na capital, entre 2001 e 2011, a quantidade de mortos no trânsito reduziu 7,5%. De acordo com o Mapa da Violência, João Pessoa, Natal e Maceió foram as únicas capitais nordestinas que apresentaram redução no número de mortes por acidentes de trânsito. Na lista dos 200 municípios entre os 1.663 com mais de 20 mil habitantes que registraram a maior taxa de mortalidade, Campina Grande aparece no final da lista, na 146º posição.

O estudo foi realizado pelo sociólogo Julio Jacobo Waiselfisz, com apoio da Faculdade Latino-americana de Ciências Sociais (FLACSO) e do Centro Brasileiro de Estudos Latino-americanos (CEBELA). As principais fontes utilizadas para o estudo foram o Sistema de Informações de Mortalidade (SIM) do Ministério da Saúde e, para os dados internacionais, a Organização Mundial da Saúde. Segundo o relatório, quase um milhão de brasileiros morreram entre 1980 e 2011 em acidentes de trânsito do país.

G1 PB

Nenhum comentário:

Postar um comentário